A arte manual como ponte para encontros

Oficina de bonecos brincantes, com o grupo Teatro Aberto

Localizada na divisa de Cubatão com a área continental de Santos, entre as grandes indústrias cubatenses e o constante vai e vem de caminhões, os moradores da comunidade Mantiqueira estão habituados a viver em um cenário diferente.

oficina_18-09_creditos-ferreira-filmes-13

Embora estejam localizados bem próximos das grandes indústrias, que fomentam a maior parte da economia local, quem mora subindo o morro convive com a precariedade dos serviços públicos e a constante invisibilidade que acompanha as comunidades ‘esquecidas’. A região, que não possui comércios ou escolas, raramente recebe atividades artísticas e culturais. Esse cenário foi transformado durante a segunda edição do Circuito de Cultura Popular, que de 22 a 28 de agosto ocupou a região e a transformou em palco para apresentações teatrais e oficinas.

E foi durante a confecção de bonecos brincantes – projeto realizado com materiais reciclados – que a arte diminuiu de forma singular a distância entre instrutores e alunos. Naquela tarde de agosto, tampinhas de garrafas, cordas e pedaços de papelão foram os ingredientes utilizados para a construção de uma ponte que uniu mundos diferentes.

“Em um momento, percebi que não estava ali somente para ajudar as crianças a montar bonecos. Era mais do que isso. Aquelas crianças estavam carentes de algo maior e muito mais importante do que o dinheiro. Valor nenhum no mundo é capaz de pagar a atenção, o toque e o carinho da arte que sobe o morro para transmitir algumas coisas”, conta emocionada a produtora Cida Cunha.

“Em determinado momento, o ato de pegar a tesoura e cortar um pedaço de papel ou tecido se mostrou maior. Era a oportunidade de trabalhar em sintonia com as crianças, pautados no compartilhamento de trabalho, ideias e sonhos”, destaca.

Cerca de 145 crianças participaram da oficina de bonecos brincantes, ministrada pelo Grupo Teatro Aberto de Santos nas três cidades por onde a caravana passou. Em todas as ocasiões, na montagem, eles aprenderam como usar materiais reciclados para confeccionar personagens de histórias. Para além dela, ensinaram que mais importante do que o meio no qual se está inserido é a mensagem que será passada através de suas vidas. E que a arte pode ser o melhor caminho para encontros com potencial de mudar o mundo. O mundo de alguém.

Sorry, the comment form is closed at this time.